Projeto Redescola

informar.png

projeto_redescola

softwares educacionais

Trata-Se de Casos Raros – Voz Ativa, Passiva e Locução Verbal

Por que se diz “Trata-se de casos raros” mas ao mesmo tempo se pluraliza o verbo numa frase semelhante: “Tratam-se casos raros de câncer naquele hospital”? Qual a diferença? Na 1ª frase o verbo tratar é usado como transitivo indireto (portanto o sujeito é indeterminado), e na 2ª como transitivo direto, o que lhe permite ser apassivado (há um sujeito na voz passiva).

Esses verbos que têm dupla transitividade podem ser encontrados em frases estruturalmente parecidas mas sintaticamente diferentes justamente por causa da preposição. Podemos verificar que, ao ser usado um complemento/substantivo no plural, a construção varia de singular para plural conforme a transitividade ou regência do verbo:

  • Precisa-se de vendedores ágeis. ["vendedores" é objeto indireto – voz ativa]
  •  Precisam-se vendedores ágeis.  ["vendedores" é sujeito da voz passiva]
  • Atendeu-se às reivindicações.
  •  Atenderam-se as reivindicações.
  • Usa-se de artifícios para driblar a torcida.
  • Usam-se artifícios para driblar a torcida.
  • Sempre se utilizou de vacinas para tratar o gado.
  • Sempre se utilizaram vacinas para tratar o gado.
  • Sabe-se dessas coisas por meio dos jornais.
  • Sabem-se coisas do arco-da-velha.
  • Falou-se dos deputados em todo o país.
  • Falaram-se assuntos impublicáveis no Congresso.
  • Com este projeto visa-se aos interesses ecológicos da comunidade ilhoa.
  • Com este projeto visam-se os interesses ecológicos da comunidade ilhoa.
  • Para dar conta do desafio, parte-se dos seguintes princípios.
  • Para dar conta da alimentação de todos, partem-se os pães em pedaços. 

Voz passiva com auxiliar e infinitivo 

Quando se utiliza uma locução verbal na voz passiva com um verbo (principal) transitivo direto, pode-se empregar o auxiliar [dever, poder, estar] tanto no singular quanto no plural:

  • Deve-se analisar os fatos.
  • Pode-se arrumar as camas agora.
  • Não se pode impor limites ao coração.
  • Está-se a dizer coisas de arrepiar...
  • Podem-se comprar carnes e frios à vontade na loja da esquina.
  • Acredito que se poderiam dar melhores condições aos produtores.
  • Acho que se devem estudar os processos minuciosamente.

É certo que todas essas frases podem ser desdobradas na voz passiva analítica. Por exemplo: Os fatos devem ser analisados,  carnes e frios podem ser comprados, poderiam ser dadas condições... Esse desdobramento mostra que há um sujeito no plural com o qual deveria concordar o verbo. Contudo, também se pode entender que o sujeito é o infinitivo, como se fosse assim o enunciado: analisar os fatos se deve; impor limites ao coração não se pode... Isso explicaria a aceitabilidade da construção no singular, aliás muito mais usada, por soar melhor.

A maior parte dos livros de gramática foge dessa particularidade. Domingos Paschoal Cegalla, no entanto, ao tratar da concordância do verbo passivo, diz textualmente: “Nas locuções verbais formadas com os verbos auxiliares poder, dever e costumar, a língua permite usar o verbo auxiliar no plural ou no singular, indiferentemente” (Minigramática da Língua Portuguesa, Cia. Editora Nacional, 1996, p.388 e Novíssima Gramática da Língua Portuguesa, idem, 1985, p.388).

* Maria Tereza de Queiroz Piacentini Diretora do Instituto Euclides da Cunha e autora dos livros 'Só Vírgula', 'Só Palavras Compostas' e 'Língua Brasil – Crase, pronomes & curiosidades' - http://www.linguabrasil.com.br/

VOCÊ SABIA?

voce-sabia

Biblioteca Virtual

biblioteca-virtual

Projeto Redescola SMS

redescola-sms

Calendário

calendario

Dedicated Cloud Hosting for your business with Joomla ready to go. Launch your online home with CloudAccess.net.